Compartilhe este artigo:

Com a chegada e popularização dos equipamentos IoTs, e sua escalada para níveis industriais, a demanda por volumes de dados pequenos sendo transmitidos por milhões de dispositivos simultâneos trouxe um novo nicho de mercado: as redes de transmissão para IoT.

É um processo semelhante ao que ocorreu com a telefonia móvel, com o sinal 2G, 3G e 4G, com a diferença na forma com que os dispositivos IoTs precisam se comunicar e a quantidade de equipamentos conectados.

Com a iminência da explosão do uso de IoT no mundo, alguns protocolos e tecnologias vêm sendo amplamente difundidos e implementados para suportar o novo ecossistema de dispositivos conectados em rede.

No caso do IoT, a principal demanda é o baixo consumo energético e, em algumas situações, longo alcance.

Não podemos esquecer que pelo fato de dispositivos IoTs serem produzidos por inúmeras empresas, e com diversos componentes, sua conectividade precisa de um padrão.

Só assim será possível a intercomunicação entre equipamentos diferentes e a conversão desses dados para acesso através de dispositivos normais.

Na IIoT essa realidade é a mesma e os protocolos de comunicação são os usados na IoT. Os principais e as tendências serão mostrados nesse post, continue lendo e confira!

LoRa

LoRaEsse protocolo favorece o baixo consumo de energia e o longo alcance da rede sem fios.

Atualmente é amplamente difundido e adotado através da LoRa Alliance, uma associação sem fins lucrativos, de mais de 500 empresas ao redor do mundo, com o objetivo de trocar informações e viabilizar o seu amplo uso.

Ele utiliza gateways, ou seja, receptores espalhados que atuam para receber as informações dos IIoTs e as enviam para servidores que tratam dessas.

Esse protocolo tem uma baixa dependência de provedores.

Em áreas urbanas, pode ultrapassar 3 km de alcance e até 15 km em áreas rurais.

Tudo isso com pouca energia, podendo utilizar baterias e trazer uma longa duração sem intervenção humana.

A tecnologia prioriza o envio de informações do IIoT e utiliza frequências abertas de rádio.

A LoRa também possui uma versão comunitária de implementação, a The Things Network que incentiva usuários a criarem seus gateways domésticos e difundirem materiais sobre como criar produtos e utilizar a tecnologia.

Sigfox

SigfoxEste protocolo, assim como o LoRa, tem o objetivo de fornecer uma rede wifi para IIoTs com amplo alcance e baixo consumo energético.

Trata-se de um protocolo fechado que reduz o consumo de banda e possibilita mais dispositivos conectados e conexões simultâneas.

Os gateways da Sigfox aproveitam as antenas da rede de telefonia móvel para implementar seus serviços e também fazem uso das radiofrequências abertas.

Após receber os dados do dispositivo IIoT, o gateway os envia para rede Sigfox que faz o tratamento dessas informações e o remetimento para o usuário.

UNB – Ultra Narrow Band

O Ultra Narrow Band, ou Banda Ultra Estreita, é um design protocolo que visa a eficácia na comunicação de dispositivos IIoTs.

Ele prioriza reduzir o consumo de energia e o desperdício de recursos que, inevitavelmente, acontecerão nas redes convencionais quando utilizadas por IIoTs.

Esse design é a base para o LoRa e o SigFox, que implementam suas tecnologias e demais protocolos privados sobre os conceitos de UNB.

Basicamente, consiste em reduzir a largura de banda e utilizar frequências menores para cobrir longas distâncias.

Esse modelo, aliado a protocolos que tornam o uso da banda mais eficiente, reduz custos operacionais e de implantação, além de viabilizar a padronização das redes que comportam quantidades enormes de dispositivos conectados.

Agora que você já sabe quais os principais protocolos de comunicação e tendências para IIoT, que tal acompanhar nosso LinkedIn para mais notícias do segmento?

(Imagens: divulgação)