Compartilhe este artigo:

O IEL – Instituto Euvaldo Lodi, ligado a CNI (Confederação Nacional das Indústrias), apresentou um trabalho voltado à indústria do ano de 2027, ou seja, uma projeção do que acontecerá no ambiente industrial nos próximos 9 anos.

As pesquisas e os levantamentos foram realizados pela UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro e pela UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas.

O resultado deste trabalho foi o Projeto Indústria 2027: Riscos e Oportunidades para o Brasil diante de inovações disruptivas.

Muitos temas foram avaliados e os que serão fundamentais e impactantes para à indústria foram listados no programa.

Nesse post vamos mostrar quais as projeções e os avanços tecnológicos que farão parte do nosso cotidiano nos próximos anos, segundo o Projeto Indústria 2027.

Inovações disruptivas

O conceito de disruptivo diz respeito a interceder de maneira abrupta, ou seja, as inovações disruptivas são novidades que modificam algum processo de forma significativa e que passam a fazer parte de uma sociedade.

O projeto realizado foi baseado nas mudanças que a indústria brasileira precisa adotar para que inovações disruptivas possam colaborar na competitividade das empresas e tornar o Brasil um importante player no mercado global.

As inovações chegaram e fazem parte do nosso cotidiano, e a sociedade absorve as vantagens oferecidas, buscando produtos que estejam aliados às descobertas e inovações tecnológicas.

Inovacoes-disruptivas

Os oito pilares das inovações disruptivas segundo o Projeto Indústria 2027

O Projeto Indústria 2027 avaliou oito pilares de inovações disruptivas que trarão mudanças profundas nos processos produtivos, são eles:

1 – TICs: Computação em nuvem, Big Data e Inteligência Artificial

TIC significa Tecnologia da Informação e Comunicação e trata-se de todos os meios técnicos usados para tratar a informação, como, por exemplo:

  • Computação em nuvem – acessar informações e dados a partir de servidores que não estejam nas dependências da empresa, contando com toda a estrutura e capacidade dos especialistas para a segurança destas informações;
  • Big Data – análise e interpretação de grandes volumes de dados de forma automatizada;
  • Inteligência Artificial – tecnologia através de softwares, similar à inteligência humana que interage com as pessoas na resolução de problemas e desejos.

2 – TICs: IoT Sistemas e Equipamentos

Conhecida no Brasil como Internet das Coisas, a sigla IoT vem do inglês Internet of Things, e tem por objetivo integrar à internet qualquer tipo de equipamento ou objetos, como, por exemplo, relógios, carros, casas, máquinas, computadores, etc.

O objetivo é trazer mais conforto aos usuários que pode, através de comandos e programação, antecipar ações e avisá-lo se algo está sendo esquecido, por exemplo.

No contexto industrial, a sigla IIoT, conhecida como Internet Industrial das Coisas, visa integrar a cadeia produtiva desde os fornecedores, passando pelo processo produtivo até o cliente final em verticais como cidades inteligentes, saúde, agronegócio, manufatura e transporte.

3 – Bioprocessos e Biotecnologia avançada

A união da ciência, especificamente a biotecnologia com a engenharia, permite que sejam produzidos em ambientes industriais e agrícolas, equipamentos e tecnologia que concedem o desenvolvimento de produtos envolvendo as transformações biológicas em grande escala.

A área trabalha com a vida microbiológica de animais e vegetais e atende as áreas farmacêuticas, médicas, de cosméticos, agro-alimentar, química e de meio ambiente entre outras.

4 – Nanotecnologia

Desenvolvimento de soluções em escala nanométrica, ou seja, invisíveis a olho nu e que atuam como agentes de limpeza, bactericida e bacteriostático, que aplicados nos produtos do cotidiano, transferem a eles características que não possuíam.

Como exemplo, transformar um brinquedo num agente bacteriostático que elimina as bactérias e consequentemente evita doenças nas crianças.

4-Nanotecnologia

5 – TICs: Redes

As redes de comunicação envolvem equipamentos e softwares que permitem a integração dos dados e interação entre os diversos modelos e diversas versões.

Busca-se, através da TIC, a possibilidade de integração dos mais diversos ambientes de comunicação com os mais diversos equipamentos disponíveis no mercado, permitindo o acesso e a interação, resultando nas facilidades de comunicação e dados em tempo real. Atualmente a integração e intereroperabilidade de padrões é um grande desafio a ser vencido.

6 – Produção Inteligente e Conectada

Linhas de produção sem a presença humana, equipamentos que recebem a informação e interagem entre si (M2M – Machine to Machine) ajustando os processos de forma automática, é outro assunto importantíssimo tratado no Projeto Indústria 2027.

Somente uma tecnologia que associe inteligência com conectividade permitirá que indústrias produzam exatamente as quantidades necessárias, com grau de flexibilidade e customização dos produtos segundo o desejo do consumidor final.

7 – Armazenamento de Energia

Redução de custos é um dos sonhos de todo empreendimento e, sem dúvida, a diminuição dos valores gastos com a energia é uma das melhores opções para a redução dos preços.

Tecnologias para a captação e armazenamento de energia são assuntos essenciais para a competitividade no mercado global. As fontes renováveis de energia e os avanços no desenvolvimento de baterias melhores tem contribuição significativa em basicamente todas as tecnologias habilitadoras disponíveis no mercado.

8 – Materiais Avançados

8-Materiais-Avancados

O último assunto pesquisado e fundamental é a descoberta e utilização de materiais avançados, ou seja, materiais que são elaborados a partir de pesquisas laboratoriais, ou que são modificados e possuem particularidades especiais.

Materiais menos tóxicos, com menor custo, maior durabilidade e propriedades adequadas ao seu uso colaboram na qualidade final dos produtos e precisa ser adotado pela indústria do futuro.

Sem dúvida, um contexto de indústria brasileira, estamos ainda nos primeiros passos deste projeto.

A indústria brasileira precisa identificar os desafios que trazem retornos significativos, se adequar e buscar tecnologias e práticas de sucesso para mostrar sua força no mercado internacional.

Não deixe de acompanhar nosso blog para ficar por dentro do Programa Indústria 2027!

(imagens: divulgação)